Antes de espalhar

Em nossas conversas, ouvimos muitas coisas acerca de outras pessoas. Umas são coisas boas. Outras são coisas ruins.

Quando as coisas são boas, nossos corações vibram. Quando as coisas são ruins, nossos peitos apertam. Nesses casos, além de ficarmos preocupados, há algo que devemos fazer: conferir as informações. Jesus deixou uma instrução que nos orienta nesta direção: "Se teu irmão pecar, vai e repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir, terás ganho teu irmão; mas se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda palavra seja confirmada. Se recusar ouvi-los, dize-o à igreja; e, se também recusar ouvir a igreja, considera-o como gentio e publicano" (Mateus 18.15). A primeira pessoa a saber que temos algo, próprio ou de ouvir dizer, contra ela é ela mesma. Antes de espalhar aquilo que ouvimos, devemos ir a ela e perguntar se aquilo que ouviu a seu respeito é verdadeiro. Vamos supor que este cuidado não seja tomado. O que vai acontecer? Quando nós formos conferir e ficarmos sabendo que as informações não têm fundamento, nada mais poderemos fazer para reparar o mal que fizemos. Já levamos nosso saco de penas para o monte e as lançamos lá de cima. Por mais que tentemos, não conseguiremos mais pegá-las todas. Tenhamos com os nossos irmãos o cuidado que gostaríamos que tivessem conosco. Antes, de espalharmos algo acerca do próximo, façamos todo o empenho para procurá-lo. Se o que sabemos é falso, ficamos com os nossos corações aliviados. Se é verdadeiro, devemos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para ajudar em sua restauração.

"Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo" (Romanos 10:13)